" Liberdade e ser capaz de amar sem pertencer, e viver sem dominar"

Não existe "swinger de verdade

Olá meus amores...

 

Vou começar dizendo que não existem piores ou melhores modos ou meios de nos satisfazer: Existem aqueles que nos atraem.Eu sou a primeira a acreditar na evolução humana, e me recuso a acreditar que "swinger de verdade" tem uma lista de regras e deveres a seguir. Não adianta fugirmos de dogmas e paradigmas que acusam o sexo e a poligamia como pecado para criar uma religião chamada swing. Se você começou a ler esse blog achando que sou a "Sumidade" no quesito "bacanal", lamento informar que vou te decepcionar.

Einstein disse: "Nenhum número de experiências, por muitas que sejam, poderão provar que tenho razão. Mas será suficiente uma só experiência para demonstrar que estou equivocado." Quem dera esse fosse um hino uníssono! Se fosse não viveríamos em uma sociedade tão retrógrada que transforma primeiramente o sexo em pecado e depois quer transformar a liberdade sexual em religião. Aquela frase de Einstein continua, dizendo que a percepção do desconhecido é a mais fascinante das experiências. O homem que não tem os olhos abertos para o misterioso passará pela vida sem ver nada.
Como podemos nos denominar liberais se somos escravos das próprias regras que estamos criando? - "Não façam isso! Não façam aquilo!" - Regras em cima de regras, zero de cultura e a teorização com falta de informação gerando uma legião de seguidores de uma falácia. Sim, eu não sou "Sumidade". Podem acreditar ou não, eu me odiaria à três anos atrás (acho que até um pouco antes de começar a escrever aqui). Eu vivo em constante modificação. Amanhã eu vou aprender mais formas de ME satisfazer e de ME conhecer. Minha experiência pode sim ser uma guia de direcionamento, por isso é tão importante, principalmente, quando se tem notoriedade no meio, que a use com responsabilidade, pois estarão influenciando outras pessoas a acreditarem nas SUAS verdades. A forma que eu sinto o mundo liberal só se aplica à mim, pois cada um "gosta do que gosta" e o que devemos fazer não é criar uma legião de praticantes do mundo liberal que se comportem da mesma forma, e nem tampouco obrigar os mesmos a se relacionarem por simplesmente "uma química". E se minha química for pela intelectualidade de alguém? E seu eu preferir conversar a noite inteira? E se não rolar sexo e a noite for boa do mesmo jeito? Vai deixar de ser swing simplesmente porque eu sou obrigada a transar?
Ser praticante do mundo liberal não é ser simplesmente um "transador". É ser alguém que acredita que liberdade é o direito de fazer o próprio dever. Você pode fazer troca de casal, ménage à tróis e ainda sim acreditar em Deus, Buda, Sheeva, em nada ou em Si próprio. Tanto faz! Uma coisa não tem a ver com outra. Parem de pecalizar o sexo, por favor! Pecado é falta de respeito, falta de consenso entre um casal, assédio sexual, violência, abuso, gaslighting... Isso é pecado!Não sei onde você está lendo esse post agora, mas se tiver alguém do seu lado muito provavelmente, se disser que vai no swing não acredito que vai receber algum apoio. Sabe porquê? Primeiramente porque sexo e prazer fora de duas pessoas na cabeça de uma sociedade doutrinada, se relaciona com sujeira. Segundo, porque isso vai definir seu caráter moral e terceiro porque as pessoas tem uma idéia errada do que é swing, pois existem "pseudos sumidades" que dizem: "Swing é isso mesmo, e se você não for assim, não pode ser chamado de swinger!" Já pensou que eu não quero ser swinger como você?
A maiorias das pessoas que entra em contato com a Voluptas pergunta se elas forem em uma casa de swing, elas serão puxadas pelo braço e obrigadas a transar.Algumas chegam a pensar que todos usam "roupões estilo sauna" para estarem preparados para o sexo. O que é isso senão a falta de informação? Não é assim está bem? E isso é assunto para um outro post! rs A Voluptas não é um "Site de relacionamento de Swing", tampouco uma "Casa de Swing". Ela é um conceito! Uma outra perspectiva, nem melhor, nem pior, apenas diferente.Somos cheios de "9 horas" como ouvi dizer por aí... E isso só me diz que, estou cada vez mais no caminho certo, porque quem não quer o "9 horas" pode se vestir agora, entrar em qualquer casa de swing ou qualquer festa pelo valor que acha justo e fazer aquilo que tem vontade com quem pintar a química, não é mesmo? E tudo bem pra nós... pois as opções estão ai para isso. Só existe opção quando se tem informação. Enquanto chamam nossas regras de "frescura" ou "intenção suspeita", eu chamo de respeito, empatia e principalmente, responsabilidade. Nossa sociedade é anônima e secreta! E tem quem entenda o porque nós pedimos foto selfie (que pode ser disfarçada) e cópia do RG (que pode ter informações como a assinatura, CPF, filiação e data de expedição ocultadas).
Ontem evitamos a associação de um candidato a membro com 12 processos criminais por furto qualificado, violência, ameaça, fora os muitos casos de pessoas envoltas com assédio e pedofilia e as insistentes tentativas de menores de idade à fazerem parte do nosso meioO fato da administração ter seus dados, não significa que imprimiremos seu nome real em um banner e nos encontros, bem na sua chegada, "chacoalharemos" bandeirolas fazendo um "poropopó" abraçados brindando a sua exposição... Gente somos adultos certo? rs Tem coisas que são óbvias e que não precisam ser ditas. Tanto faz para nós o nome que você vai usar no meio liberal ou como vai se apresentar em nossos eventos, afinal, tem que usar nome fictício sim para se apresentar nos eventos!Todos devemos preservar a privacidade.
O que queremos saber é se a "putinhaselvagem099765" foi condenada por latrocínio e saiu da cadeia direto para o swing, ou se o "comerdordanação0202" que tentou estuprar a própria filha, está tentando agora fazer parte da Voluptas para se deitar com você e sua mulher (ué, achei que só a química bastava pra você transar com essa pessoa...). Ou você é do tipo "o que os olhos não vê o coração não sente"? Obviamente que a ausência de um processo judicial não prova boa intenção, mas se eu puder dispor de meus recursos para minimizar possíveis danos, eu farei. Caso contrário, vai ter seguranças nos encontros mesmo. rs
Enquanto existem pessoas que dizem que é melhor acreditar nas "regras do mundo do swing" (aliás, muito parecido com uma coisinha chamada inquisição), uma outra pessoa estará lendo no site da Voluptas que nossas festas nem deveriam ser chamadas assim, pois são mais um encontro onde buscamos alcançar a liberdade não buscando a liberdade, mas sim a verdade. Pois para nós, como disse Léon Tolstoi, a liberdade não é um fim, mas uma consequência!
Vai ter swing diferente dos seus moldes sim! O choro é livre.Beijos cheios de volúpia para vocês...

Tecnologia do Google TradutorTradutor