Nossa primeira experiência liberal

Conheci meu parceiro antes de ter um relacionamento e muito antes de fazermos sexo já conversávamos muito a respeito. E em uma de nossas conversas ele disse que tinha curiosidade de conhecer uma casa de swing, e eu de imediato aceitei. Começamos a namorar e veio de novo essa vontade combinamos e marcamos o dia.

Chegado o tão esperado dia, estava ansiosa e não sabia nem que roupa usar para essa noite. Acabei colocando um pretinho básico e um salto alto. No meio do caminho, ele pega em minha mão e pergunta: Você tem certeza nega? Eu sorri e disse: Sim! Já estamos aqui, vamos até o fim.

Ao chegar na casa de swing nervosos e ansiosos esperando encontrar várias pessoas peladas, pra nossa surpresa muitos casais bem vestidos e sentados no bar conversando e bebendo. Ao passar das horas, a casa foi enchendo e resolvemos fazer um tour pelos labirintos e chegamos ao lugar que apelidamos de inferninho. Uma mulher em uma cama redonda e um monte de homens em cima, um comendo ela, outro com o pênis em sua boca e outros esperando a vez.

Meu companheiro ficou ali esperando pra ver se conseguia chegar mais perto. Mas logo o tirei porque enquanto ele se distraia um homem tentava a todo custo meter a mão por baixo do meu vestido. Saímos dali e seguimos pelos corredores, nisso resolvemos entrar em uma cabine privada, onde transamos pois ja estávamos bem instigados, apesar do pouco espaço.

Saímos e resolvemos explorar mais um pouco do lugar, chegamos em um lugar onde existem cabines e uns buracos/aberturas para vc colocar as mãos ou tocar quem esta transando do outro lado ou colocar o pênis para quem está do lado chupar… meu companheiro conseguiu colocar o pênis e ser chupado enquanto eu o beijava do do lado de fora.

Não senti ciúmes. Mas não me senti confortável com outros homens me passando a mão. Por mais que falamos NÃO. muitos não respeitam. Vimos pelo buraco de uma das cabines dois casais. Uma mulher sentada com as pernas abertas enquanto a outra a chupava e os homens olhavam e batia uma punheta. Essa foi uma das cenas mais bonitas que vi naquela noite. La pelas 3 horas da manhã resolvemos ir embora.

Não foi como esperávamos pois esperávamos chegar e participar de uma orgia. Mas percebemos que nessas casas tem muitos homens e menos mulheres e vimos também que muitas mulheres ficam sentadas em suas mesas sozinhas enquanto os homens circulam pelos labirintos do swing, talvez elas não estejam preparadas para estar naquele lugar e vão por eles.

Depois fomos em outras casas de swing mas não passou muito disso, acabávamos transando eu e ele em uma cabine privada, ele sendo chupado por algumas estranhas por trás daquelas paredes e uma ou outra vez que ele conseguiu penetrar uma mulher através do buraco na parede, que na realidade descobri que se chama glory hole que em português significa: buraco de glória. Glory hole é uma abertura redonda em uma parede que permite que pessoas vejam o que outras estão fazendo e claro possam colocar seu pênis para a outra pessoas que esta do lado de lá possa se divertir.

Segundo a lenda os primeiros glory holes foram feitos em banheiros de São Francisco e Nova York onde homens que curtiam interação com outros homens pudessem abrir as aberturas e facilitar a pegação, isso em uma época onde era necessário se esconder para viver sua sexualidade. Falarei mais a respeito dos glory hole em um próximo post. Depois de algumas experiências em casas de swing, começamos a frequentar festas particulares e onde acabou acontecendo interação entre outros casais (trocas e ménage feminino) .

Eu acho que acabo me encaixando mais em observar porque o que me da mais tesão e ver meu parceiro tendo prazer com outra mulher me excita e me deixa louca. E curto ménage feminino, corpos femininos de certa forma me excitam e nenhum homem supera um sexo oral que uma mulher faz em outra, me desculpem os homens que se acham bom nisso.

E vendo e indo nessas festas e encontros surgiu a vontade e o desejo de montar o site e realizar festas para que outros casais experientes ou não possa ter essa oportunidade de explorar seus desejos sexuais mais secretos. Na realidade a idéia surgiu dele o Sr. D, que tem uma mente safada e pervertida e eu adoro!

E a sua como foi?